Sobre Tuca Filmes: emocionantes vídeos de casamento em Ouro Preto e BH

Nossa história

ao encontro da sua!

A Tuca Filmes surgiu do encontro entre Aline Lara e Marcos Hallais, parceiros de vida e ideias. Ele deixou de lado os cursos de Psicologia e Filosofia para se dedicar ao vídeo. Ela, por sua vez, comprou a ideia, e ambos encontraram na câmera um modo de se expressar. Mas quem é o (a) Tuca? Ninguém! Tuca não é apelido. A inspiração para o nome veio do tucano, um animal que o casal via recorrentemente. E como esse foi o único nome que a Aline gostou dentro de uma infinidade de opções sugeridas pelo Marcos... a última palavra acabou sendo de quem?


Desde 2012, quando foi criada, surgiram novos membros na família Tuca. O Neder, que chega todo dia no horário e vive perdendo peso, atua como editor e designer gráfico. O Fabrício, que conhece a Internet como ninguém, atua como editor, mas também é formado em designer de interiores, e foi ele o responsável pela decoração do nosso escritório. O Leo (irmão da Aline) é o nosso pipoqueiro. O forte dele é cozinhar, então ele quase nunca filma com a gente. E tem também a Gaia, a border collie, que vive pedindo carinho enquanto estamos editando. Juntos, formamos a Tuca Filmes, uma produtora de vídeos de CASAMENTO, NASCIMENTOS e INSTITUCIONAIS, que busca tocar o coração das pessoas. Não só o coração, mas também o estômago, já que além de vídeos, também fazemos PIPOCA GOURMET em nossa FOODBIKE!


Como já dizia Vinícius de Morais, "Viver é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida". E bons encontros podem ser muitos... Os dias de chuva. Um romance denso. A leveza. O silêncio da rede. A beleza. A voz da Bebel Gilberto inundando a sala. A sabedoria estóica. O hip-hop. A mão suja ao cultivar a terra. Uma viagem sem destino. O afago em um cachorro. O forró. O martelo de Nietzsche. A cadência da bossa. O cinema francês de Godard a Amellie de Jeunet. O lixo de Vicky Muniz. O primeiro choro de um bebê. Simpsons, Chaplin e Mr. Been na TV. Um encontro furtivo na esquina. Rock e copo lagoinha. E, claro, Bethânia cantando! Todos esses encontros nos inspiram e devem ser celebrados. E é aqui que nossa história encontra com a sua!